março 15, 2024
  • 57
  • 0

Sua frequência cardíaca é muito mais do que apenas um monte de bombeamentos musculares. Há muito tempo (nos anos 60), os cientistas perceberam que as alterações na atividade cardíaca estão relacionadas com fenômenos psicológicos; em outras palavras, pensamentos e emoções mudam seus batimentos cardíacos. E você sabe disso, então vou dar alguns exemplos para refrescar sua memória.

Você se lembra de quando se apaixonou pela primeira vez? Ou quando você tem medo de andar por uma rua escura no meio da noite? Ou talvez você estava surfando e, de repente, notou uma enorme vida marinha nadando rapidamente sob sua prancha e pensou: “O que foi isso?” Seu coração batia rápido e você ficou em estado de alerta e começou a procurar qualquer movimento na água; seus músculos estavam preparados para reagir rapidamente a qualquer movimento próximo a você. Toda essa “ativação” foi desencadeada por algum movimento e pela associação do que poderia ser.

E há muito mais; às vezes, as percepções de mudança em seu corpo podem desencadear ainda mais mudanças em sua mente. Por exemplo, a consciência das mudanças cardíacas também pode influenciar as suas emoções. Então, lembre-se de quando você estava se preparando para aquela apresentação importante na escola ou no trabalho e voce notou que seu coração batia acelerado; você pensou: “Estou nervoso” e então se lembrou do que aconteceu da última vez que se sentiu nervoso. De repente, você ficou preso nessa cadeia de pensamentos negativos e preocupações com suas reações fisiológicas; você disse: “Meu Deus, estou muito ansioso!” o que desencadeou pensamentos ainda mais problemáticos, aumento da frequência cardíaca, dificuldade de concentração, movimentos fisicos nervosos e esquecimento do que tinha a dizer!

Ok, agora que concordamos que os estados da sua mente influenciam os estados do seu corpo e os estados do seu corpo influenciam os estados da sua mente, vamos encontrar uma maneira de medi-lo com precisão e treinar as novas respostas que otimizam o desempenho e a saúde.

Agora, pense na relação entre a atividade cardíaca e a velocidade de resposta ao realizar tarefas motoras, a atividade cardíaca e a função cognitiva como resolução de problemas e imagens, e a atividade cardíaca e as mudanças na percepção e na atenção e a importância que isso tem na orientação das reações. Portanto, ser capaz de identificar os sinais de muita ativação e aprender a se autorregular seria ótimo porque levaria a um melhor desempenho atlético.

Desde os primeiros estudos na década de 60 até hoje, desenvolvemos a ciência e a tecnologia que nos permitem observar as variações cardíacas durante situações altamente emocionais/estressantes e também o desempenho atlético. Esses sinais medidos são chamados de registros fisiológicos (semelhantes aos que você vê em um hospital). No entanto, se eu explicar e mostrar como isso muda em resposta aos estímulos ambientais, isso se chama Feedback Biológico ou Biofeedback. E se você começar a treinar novas respostas, isso se chama treinamento de Biofeedback. Se você desenvolver a capacidade de modificar suas respostas para maximizar o desempenho atlético e melhorar a saúde, você aprendeu a habilidade e a intervenção funcionou.

Agora, lembre-se que a ciência que analisa as interações entre mente e corpo é chamada de Psicofisiologia. No entanto, a Psicofisiologia também trata de hormônios e comportamento, influências genéticas no comportamento, ritmos circadianos, sono e muito mais conhecimento emprestado de outras ciências. Você pode pensar brevemente sobre como os hormônios, a genética e o sono influenciam seu desempenho e todas as ferramentas e tecnologias atuais para monitorá-lo? Em seguida, pense na quantidade de ferramentas que os profissionais treinados em abordagens psicofisiológicas do desempenho esportivo têm a lhe oferecer, desde o monitoramento de sua prontidão para o desempenho até a mudança de respostas padrão, e diga-me se você ainda acredita que o treinamento mental envolve apenas exercícios de respiração aleatória, meditação, psicoterapia, ou qualquer outra intervenção de placebo.

Agora que você sabe que seu corpo pode falar com você, é sua decisão ouvir e treinar novas respostas. No passado, disseram-nos que as nossas reações eram automáticas e imutáveis. Mas hoje sabemos que podemos medi-las e treinar novos padrões de respostas para maximizar o desempenho no trabalho, nos desportos e na vida em geral. E como eu disse, “meça” para poder mudar. Não é adivinhação. Não existe um trabalho respiratório ou técnica de relaxamento que sirva para todos. Somos diferentes na nossa altura, peso, composição corporal e na forma como respondemos aos desafios que enfrentamos. Portanto, o verdadeiro treinamento mental consiste em avaliar como você responde, compará-lo com você no seu melhor, e treinar as respostas que maximizam o SEU desempenho.

E se voce quiser continuar essa conversa, marque a sua consulta

https://athletestreasure.com/pt-br/appointment-request/

 

Add Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Want to know about our offers first_?
Subscribe our newsletter

Subscribe our newsletter